Como trabalhar a minha EXPECTATIVA?


Quem nunca se deparou com uma situação de frustração por esperar de mais dos outros?

Nós, seres humanos, geralmente nos relacionamos de maneira retributiva, ou seja, esperamos ser retribuídos naquilo que oferecemos, a "tal" reciprocidade.

Até aí, tudo normal. O problema surge quando eu crio expectativa sobre essa reciprocidade, ou seja, eu pré-determino a conduta do outro.

Essa prática, muitas vezes involuntária, nos coloca em situações constantes de decepção e frustração, quando não causa rupturas relacionais na esfera pessoal e profissional.

Muitas vezes, na maioria delas, colocamos no outro a responsabilidade pelo não cumprimento das nossas próprias expectativas, e, geralmente o outro nem sabia o que realmente estávamos esperando.

Mas afinal, as pessoas tem o dever de perceber as nossas necessidades?

Abaixo, escrevo algumas dicas que vão ajudar você a trabalhar a sua expectativa e, também, como lidar com as decepções e frustrações dela decorrentes.

  • Seja claro em relação ao que você espera - Em qualquer tipo de relação, seja ela profissional, amorosa, entre amigos ou familiar, seja honesto em relação ao que você espera. Não esconda ou diminua as suas expectativas apenas para não desagradar àquele com quem você está se relacionando. O medo da rejeição costuma transformar a sua personalidade em algo "aceitável" e, consequentemente, você terá as suas expectativas quebradas e irá se decepcionar ou se frustrar;

 
  • Aceite que as pessoas são únicas e diferentes - Nem todo mundo vai fazer as mesmas coisas ou as coisas da mesma maneira que você. Saiba reconhecer quando a pessoa está retribuindo um gesto, um carinho, uma atitude, de maneira diferente da sua. As vezes a quebra da sua expectativa diz mais respeito à sua falta de percepção do que realmente à falta de atitude do outro. Fique mais atento!

 
  • Faça por você! - Seja por prazer ou pelo dever, faça por você! É muito importante que, ao realizar algo, você tenha convicção que está fazendo pois acredita que aquilo deve ser feito, ou porque te dá prazer, ou porque você tem a obrigação de fazer, ou por qualquer outro motivo. Não cobre que as pessoas façam por você aquilo que você faz por elas, essa atitude acaba desgastando as relações e não é legal receber algo que você tenha que exigir.

 
  • Procure entender os seus sentimentos - A decepção e frustração são sentimentos ligados à nossa fase infantil. Procure entender qual o sentimento está por trás destas sensações. Na vida adulta, se você reforçar essas sensações, a tendência é você se tornar uma pessoa extremamente crítica e com uma visão muito pessimista das pessoas e do mundo. Lembre-se: Se você entender e compreender os seus sentimento e for uma pessoa segura do seu comportamento, você deixa de esperar tanto dos outros e, assim, passa a viver de uma maneira mais leve e sem tantas discussões!

Sempre é tempo de analisar as nossas próprias condutas em prol de uma vida com mais equilíbrio. O processo de autoconhecimento e autodesenvolvimento permite uma retomada da responsabilidade, possibilitando a mudança de comportamentos que afetam a nossa saúde mental e, consequentemente, a nossa vida.



16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo